Twitter

www.twitter.com/docesenutricao

quinta-feira, 21 de abril de 2011

A tão temida trans


A gordura trans é um tipo diferente de gordura produzido em laboratório, ou seja, industrial, artificial. Ela era uma gordura insaturada que foi transformada (o processo se chama hidrogenação) para que os produtos, que antes eram líquidos, passassem a ser sólidos, como a margarina, o exemplo clássico de gordura trans. A margarina contém gordura insaturada. Mas ela deveria ser saturada, pois a margarina é sólida (entenda melhor de gorduras em http://docesenutricao.blogspot.com/2011/04/gorduras.html ). Como isso é possível então? Gordura trans. Ela melhora as características dos alimentos, como a textura e o sabor, grande utilidade para as indústrias de alimentos, que conseguem um produto ideal: é mais saboroso, deixa o produto mais estável e o principal: vende mais. Mas infelizmente os males da trans não valem o esforço para um produto bonito(não para os consumidores).

Segundo várias pesquisas, o diferencial da trans em relação a outros tipos de gorduras, é basicamente o seguinte: a gordura insaturada diminui o chamado "colesterol ruim" (LDL) e aumenta o "bom" (HDL). A gordura saturada aumenta o LDL. A gordura trans, além de aumentar o LDL, diminui o HDL. Outro agravante é que a trans se deposita mais facilmente nas artérias, causando problemas cardiovasculares, hipertensão, infartos (aqueles problemas bem conhecidos e divulgados). É por isso que ela é tão perigosa, temida pelas pessoas que conhecem seus males e muito alertada sobre seu consumo sem controle. Ela está presente em produtos industrializados como margarinas, pães, bolos, biscoitos, sorvetes, massas, etc.
E um detalhe: aqueles bolos de padaria podem ser caseiros, ou não. Para facilitar e agilizar a produção, muitos mercados, padarias e confeitarias usam massa pronta para preparar os quitutes. E essas massas podem conter gordura trans. Então como se proteger? Abdicar das delícias modernas? Voltar para a idade da pedra? Fazer uma horta em casa e só comer o que plantar? Existe uma saída dentro das nossas possibilidades.
Em relação às margarinas, pelo menos uma notícia boa: hoje em dia muitas empresas já aplicam outro processo para solidificar a gordura que não a transforma em trans. Justamente para não perder mercado, depois da divulgação dos perigos. É a interesterificação, processo parecido com a hidrogenação, mas que não produz gordura trans.

Observe bem os rótulos dos produtos, pois as empresas são obrigadas a colocar a quantidade de gordura trans por porção. Tente optar por marcas que não tenham gordura trans (mesmo sabendo que podem estar omitindo isso). Se na informação nutricional não tem trans, ela pode estar escrita como gordura vegetal hidrogenada, lá no meio da lista de ingredientes. Não tem como evitar aquele produto? Tente então variar, mude de marca uma vez ou outra, experimente novidades. Alternar entre os produtos que você adora mas que o rótulo indica trans e outro que não tenha já vai ser melhor que sempre consumir aquele que tem, certo? Você já vai diminuir a quantidade de trans ingerida. Pesquise, olhe com atenção a embalagem, arrisque de vez em quando um produto diferente e mais saudável. E depois me conte como foi!

Postar um comentário